14.10.12

Utilidade pública - procura-se Antonia, a irmã de D. Maria de Lurdes Barros

Caros amigos araiosenses, recebi esta semana um e-mail de Aparecida Albuquerque que tem um pedido muito comovente.

Antes de contar a história, quero compartilhar com vocês a alegria que tenho ao receber relatos de gente da nossa terra que não vê Araioses há 30, 40 anos e que demonstra em suas palavras toda a emoção de ler relatos e ver fotos do nosso lugar. 

Pois bem, vamos à história.

Aparecida é filha de MARIA DE LURDES BARROS, que tem 84 anos e nasceu em Araioses/MA. Moram atualmente em Vila Velha/ES. Segundo Aparecida, sua mãe está com a saúde debilitada e chora muito com vontade de ver sua irmã, que mora em Araioses. Elas não se vêem há pelo menos 60 anos. 

Dona Maria de Lurdes Barros é filha de seu RAIMUNDO CIPRIANO BARROS e de D. LUZIA FEITOZA BARROS. A mãe já é falecida. 

A irmã que D. Maria de Lurdes procura é conhecida por ANTONIA, mas não tem certeza de seu nome completo. Temos algumas opções: ANTONIA MARIA BARROS, MARIA ANTONIA BARROS ou MARIA ANTONIA FEITOZA. 

Uma dica para quem puder ajudar é que a família morava próximo aos bairros Conceição e Rodeador. 

Pessoal, para vocês que lêem este blog e que moram em Araioses, talvez não seja difícil perguntar aos mais velhos se conhecem alguém dessa família. Pode parecer pouco para nós que vivemos perto de nossos familiares, mas para alguém que viveu tanto tempo longe, ter este momento de encontro é algo que vale muito.  

Aparecida quer ir a Araioses no início de novembro próximo, mas para não ir às escuras, seria de muita ajuda se alguém tivesse uma dica de por onde ela possa começar a procurar.

Aguardamos notícias. Podem postar comentários no Blog, ou encaminhar e-mail para mim (mluciodf@gmail.com) ou para a Aparecida (cida11barros@hotmail.com).

Estamos esperançosos de que alguém possa dar uma boa notícia nos próximos dias.

De antemão, obrigado a todos.

Mário Lucio Araújo



18.8.10

Fotos de Araioses e do Delta


Aos amigos araiosenses, e aos que já ouviram falar deste canto do Brasil, disponibilizo as fotos que mostram essa cidade que tanto admiro, pela beleza e pelas lembranças de minha infância.
Vocês verão fotos da cidade e de alguns lugares no Delta, como o Igarapé das Batatas, Morro da Mariana, o próprio Rio Parnaíba, Canárias, a Baía de Canárias, a Ilha do Poldros e a praia de mesmo nome.

Cliquem na foto acima e vejam o que eu vi por lá.

Mário Lucio

26.6.10

ESTOU EM ARAIOSES

ESTOU EM ARAIOSES

Amigos de Araioses, estou na terrinha.

Aos daqui, que quizerem me encontrar, estou na casa de meu avô.

Aos de outras paragens, assim que possível disponibilizo fotos desta terra bonita.

Grande abraço a todos.


Mário Lucio

29.12.09

O ano de 1991

O ano era 1991.
Após longos e bons anos pude conviver com alguns dos meus grandes amigos desta vida, desde a 1ª série até a oitava. Nessa época ainda chamávamos de 1º grau.
Entrei no Ateneu no ano de 1984. Recém chegado de Brasília onde morava com meus pais fui passar uma temporada com meus avós, D. Lenir e Seu Maurilo. Tinha então 7 anos.

Entrei pela porta da secretaria, os professores me olhando, alguns futuros colegas também, esses pela porta que dava para o corredor onde era feita a "Forma" - era o corredor onde, todos os dias, ficávamos em "forma" para cantar o Hino Nacional, Hino de Araioses ou Hino do Ateneu.

Minha vó me apresentou à Dona Socorro Brandão, ainda por lá até os dias de hoje, que me conduziu até a sala onde teria minhas aulas. Bom, não era bem a sala de aula, era no salão onde fora improvisada uma sala, com cadeiras e lousa, e onde encontrei minha primeira professora do Ateneu São José, prof. Rosarinha.

Fiquei no Ateneu até a 3ª Série. Voltei para Brasília. Nesses poucos menos que 3 anos plantei sementes de verdadeiras amizades. Já citei aqui neste espaço alguns dos amigos que conquistei.

Fiquei em Brasília por dois anos, voltei em 1989 para Araioses, já cursando a 6ª serie, e para minha alegria pude encontrar boa parte dos amigos que tinha deixado.
Essa é a vantagem de uma cidade pequena. No colégio onde estudava, e na maioria dos demais, havia sempre uma ou no máximo duas turmas para cada série. Naquele caso, para a 6ª série, só havia uma. Foi por isso que reencontrei grande parte dos meus amigos de outrora, a mesma turma, de novo estudando juntos.

Outros eu conheci somente nessa época, se somaram aos já existentes, e estavam lá na minha festa de formatura da 8ª série. Todos fazendo parte de um grande grupo que sempre manterei guardado no meu coração.

Muitas pessoas conhecemos durante a vida, muitas também se perdem com o tempo, as lembranças passam a ser escassas. Contudo para alguns a lembrança é sempre forte, palpitante. Os verdadeiros amigos serão sempre lembrados como se estivessem do lado a todo instante.

O que falar então dos verdadeiros amigos da infância, aqueles com os quais crescemos, descobrimos o mundo, com os quais nos descobrimos como seres humanos. São amigos, que além de tudo conhecem nossa história, dos quais conhecemos as raizes. São pessoas das quais nenhum segredo pode ser guardado pois viveram uma vida conosco.

O ano era 1991, naquele ano essa turma se despediu. Fizemos uma grande festa de formatura, no próprio Ateneu, animada pela Banda Embala o Som, de Carnaubeiras.
Depois daquele ano nossas vidas tomariam outros rumos. Muitos fomos morar em outras cidades, continuar os estudos e conseguir um bom trabalho. Esses eram alguns dos nossos objetivos.

Eu ainda fiquei por lá mais um ano. Fiz o primeiro ano do 2º grau no Colegio Tudes José Cardoso, conhecido por Ginásio, e lá, apesar de ter conhecido mais gente, já senti que a vida havia mudado. A turma de minha infância havia sido desfeita.

O ano, 1991, marca o início de uma vida diferente, uma vida sem os meus grandes amigos de minha infância.

Marinho


A foto acima foi tirada na reunião onde foi realizada o "amigo oculto" de final de ano, em 1991. Não estão todos da turma, infelizmente não tenho uma foto com todos, mas já serve pra matar um pouco da saudade.


Em pé: Maria José (Zezé), Wildon (só o olho dele na verdade), Gilvana, André (Calango), Prof. Osana, Severino, Eu (Mário Lucio), Erisvaldo e Iomar.
Sentados: Joana, Luciane, Terezinha, Graça e Zulmira.

10.4.09

Retomando os trabalhos

Voltei! Há muito não posto novas mensagens aqui, mas saibam que é por falta de tempo e não por falta de vontade.

Aproveito para agradecer um comentário da Rosivalda. Reclamou que seu nome não estava entre os nomes de amigos do Ateneu que eu citei em várias mensagens já postadas. Então tá aqui a retratação. Mas há uma explicação Rosivalda: como você mesmo disse você era da turma da 5ª série, e eu estudei no Ateneu da 1ª à 3ª e da 6ª à 8ª séries. Mas lembro de você de minha primeira passada por lá, era a menor da turma e acho que continua sendo, estou errado? Brincadeira.

Nostaugias à parte, como já disse em outras ocasiões, gosto de saber como andam as coisas em Araioses, e como estou bem longe isso se torna uma tarefa não muito fácil. Estou curioso pra saber como estão sendo os primeiros meses de governo da nova prefeita. Será que algo mudou de fato? Fiz uma enquete neste blog e parece que os araiosenses estão confiantes com a mudança de comando na cidade. Alguém conhece o plano de governo da prefeita? Quais os projetos para o desenvolvimento da cidade? E o que há para se explorar o turismo? O que há de projeto de longo prazo para tirar o povo da miséria?

Caso niguém tenha se questionado ainda sobre esses pontos, saibam que é isso que desenvolve uma cidade e até um país. Vivi em Araioses na época em que o principal projeto do prefeito era distribuir notas de 5 mil cruzados quando aparecia na cidade. Nessa época, pasmem, o prefeito aparecia na cidade 2 a 3 vezes por mês.

Espero que projetos parecidos sejam coisas do passado e se pense em alicerces de um desenvolvimento sustentável.

Aguardo contribuições dos araiosenses que puderem ajudar.

Espero que eu consiga voltar logo a escrever mais um pouco para voces, desta vez com novidades.

14.11.08

pai, tô com fome

Esta é uma história que recebi por e-mail. Há nela diversas mensagens que podemos tomar para nossas vidas. Por favor leiam até o final.

Pai, to com fome ...

Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou:

- Pai, tô com fome!!!

O pai, Agenor , sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência...

- Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai!!!

Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua frente...

Ao entrar dirige-se a um homem no balcão:

- Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome, não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e nada encontrei, eu lhe peço que em nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o senhor precisar!!!

Amaro , o dono da padaria estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho...

Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que imediatamente pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz, feijão, bife e ovo...

Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua...

Para Agenor , uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá...

Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada...

A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um manjar dos deuses, e lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades.. ..

Amaro se aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar:

- Ô Maria!!! Sua comida deve estar muito ruim... Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de sapato?!?!

Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer...

Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho...

Mais confiante, Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas....

Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório...

Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de
pequenos 'biscates aqui e acolá', mas que há 2 meses não recebia nada...

Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais na padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias...

Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho...

Ao chegar em casa com toda aquela 'fartura', Agenor é um novo homem sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso...

Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta, era toda uma esperança de dias melhores...

No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da padaria ansioso para iniciar seu novo trabalho...

Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia porque estava ajudando...

Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele
chamava-o para ajudar aquela pessoa....

E, ele não se enganou - durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres...

Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetização de adultos um quarteirão acima da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar....

Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta...

Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula...

Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros , advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro...

Ao meio dia ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o 'antigo funcionário' tão elegante em seu primeiro terno...

Mais dez anos se passam, e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida diariamente na hora do almoço...


Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho , o agora nutricionista Ricardo Baptista...

Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que conheciam um pouco da história de cada um...

Contam que aos 82 anos os dois faleceram no mesmo dia, quase que a mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido...

Ricardinho , o filho mandou gravar na frente da 'Casa do Caminho', que seu pai fundou com tanto carinho:

'Um dia eu tive fome, e você me alimentou. Um dia eu estava sem esperanças e você me deu um caminho.. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço. Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma. E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar!!!'

(História verídica)

Se acharem que vale a pena repassem, pois nunca é tarde para começar e sempre é cedo para parar!!!

'Todo pensamento, se repetido, passa a exercer domínio'.

16.10.08

Essa que eu hei de amar…

Essa que eu hei de amar perdidamente um dia
será tão loura, e clara, e vagarosa, e bela,
que eu pensarei que é o sol que vem, pela janela,
trazer luz e calor a essa alma escura e fria.

E quando ela passar, tudo o que eu não sentia
da vida há de acordar no coração, que vela…
E ela irá como o sol, e eu irei atrás dela
como sombra feliz… — Tudo isso eu me dizia,

quando alguém me chamou. Olhei: um vulto louro,
e claro, e vagaroso, e belo, na luz de ouro
do poente, me dizia adeus, como um sol triste…

E falou-me de longe: "Eu passei a teu lado,
mas ias tão perdido em teu sonho dourado,
meu pobre sonhador, que nem sequer me viste!"

Guilherme de Almeida


Um dia já escrevi poemas. Pensei em publicar um aqui, mas como pouco escrevo hoje, resolvi publicar este de Guilherme de Almeida, grande poeta brasileiro. É um belo poema que demonstra a riqueza de nossa língua e a inspiração de um grande homem. Um poema que pode ser interpretado de várias formas: a loura pode não ser loura; a loura pode nem ser gente, pode ser uma grande oportunidade...

13.10.08

Resultado das eleições municipais de Araioses

Resultados extra-oficiais enviados por Bob Oliveira à sua comunidade no Orkut: "Sou de Araioses mas moro fora":

PREFEITOS:
Luciana Trinta - 47,69% - 9.664 votos
Zé Tude - 36,67% - 7.431
Chico PT - 11,68% - 2.366
Pedro Henrique - 3,96% - 803

VEREADORES MAIS VOTADOS:
Jacira Pires - 1.067 votos
Gentil Lima - 1.010
Jorge - 984
Wilson Miranda - 851
Dadá - 851
Zé Carlos - 790
Mano - 733
Paulo Cardoso - 657
Assis - 597
Ozile - 557


Um grande abraço à todos.Esta mensagem foi enviada por Bob Oliveira. Para ver o perfil de Bob, clique em: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=6435105595003615702

26.6.08

Mensagem de uma araiosense para seus amigos

Segue mensagem da Jociné. Ela gostou do espaço e resolveu dá uma alô para os amigos:

"Oi pessoal,sou a Jociné ou Jô como quizerem chamar, estou aqui outra vez, tenho saudades dos amigos.
Walterlina,minha grande amiga se quizer me escrever vou deixar meu e-mail.
Não fique com ciúmes mas tenho saudades de todos, Rejane,Ceiçinha, Socorrinha, Givaldo, Júnior.....
e-mail
jo.oliveira.23@hotmail.com
Beijos para todos.
Marinho obrigado pelo espaço, tenho certeza que irei reecontrar os amigos."

24.6.08

Os amigos continuam aparecendo

Grandes descobertas fazem deste espaço um lugar fantástico. Hoje recebi 2 postagens. Uma pedindo foto do Rio Magu. Infelizmente não tenho, mas estou esperando caso alguém tenha e possa me enviar para que eu publique e mate a saudade de araiosenses Brasil a fora. Quem tiver fotos do Rio Magu ou qualquer outro lugar ainda não mostrado neste blog, favor enviar para mluciodf@gmail.com.

Outra visita é da amiga Jociné. Se não me engano é irmã de meu grande amigo Zé Maria, também conhecido por Zema. Estou certo?

O legal aqui é que sempre aparece gente conhecida e laços de amizade de tempos distantes são refeitos.

Estou devendo mais relatos aqui no blog. Prometo que vou encontrar tempo para escrever mais.

Um grande abraço a todos os amigos.

Araioses - Rio Santa Rosa e outras amostras

Loading...

Você é nosso visitante n.º