16.10.08

Essa que eu hei de amar…

Essa que eu hei de amar perdidamente um dia
será tão loura, e clara, e vagarosa, e bela,
que eu pensarei que é o sol que vem, pela janela,
trazer luz e calor a essa alma escura e fria.

E quando ela passar, tudo o que eu não sentia
da vida há de acordar no coração, que vela…
E ela irá como o sol, e eu irei atrás dela
como sombra feliz… — Tudo isso eu me dizia,

quando alguém me chamou. Olhei: um vulto louro,
e claro, e vagaroso, e belo, na luz de ouro
do poente, me dizia adeus, como um sol triste…

E falou-me de longe: "Eu passei a teu lado,
mas ias tão perdido em teu sonho dourado,
meu pobre sonhador, que nem sequer me viste!"

Guilherme de Almeida


Um dia já escrevi poemas. Pensei em publicar um aqui, mas como pouco escrevo hoje, resolvi publicar este de Guilherme de Almeida, grande poeta brasileiro. É um belo poema que demonstra a riqueza de nossa língua e a inspiração de um grande homem. Um poema que pode ser interpretado de várias formas: a loura pode não ser loura; a loura pode nem ser gente, pode ser uma grande oportunidade...

2 comentários:

gerson vilar dutra disse...

eu sou gerson,moro em taguatinga df sou araiosense com orgulho.espero que nossa cidade melhore,porque estava uma vergonha, parecia ate que nao tinha prefeito.agora com a luciana no poder espero e torco que araioses melhore, nao só a sed mas todo municipio,pesso para a nossa prefeita não esquecer do povoado baixão da subida.um abraço em todos araiosense.

Anônimo disse...

ola,eu sou de araioses mas eu estou em brasilia, eu adoraria esta ai com todos os meus amigos,que deixei ai em araioses,eu sou filha do galiano dessa cidade maravilhosa,que eu amo de coraçao,bjs aos amigos james,charles cinthia,cassio,paula,etambem,meus irmaos analice,quebil, mae,abç,a todos que lembram de mim,lidia,ok?

Você é nosso visitante n.º